Escola de música com cursos de Cordas, sopros, percussão, canto popular e erudito e Musicalização Infantil

Canto

Quem estiver disposto a aentrar neste fascinante mundo da voz, necessitará conhecer-se melhor.

Não é possível cantar tenso, estressado ou ansioso. Quanto mais calmo e tranqüilo o aluno estiver, melhores resultados obterá. 
Também não adianta fazer um monte de exercícios vocais e cantar à exaustão.
O bom trabalho é feito em doses homeopáticas. O Desenvolvimento do aluno é fruto de exercícios aplicados da forma correta, não da quantidade de vocalises (exercícios vocais).
Muita gente acha que basta fazer exercícios de um livro ou comprar uma fita com gravações de exercícios para aprender a cantar.

A primeira coisa que um professor faz é descobrir qual é a região mais confortável para o 
aluno cantar. Geralmente o aluno não é capaz de fazer isto sozinho.
Também não adianta ficar puxando a voz para a região aguda se o aluno não tiver a região central da voz bem colocada. A pressa e a ansiedade que as pessoas têm de cantar logo, muitas vezes atrapalham o aprendizado.
É muito importante que o aluno comece a se observar e a se conhecer cada vez mais. Os exercícios de fono e os respiratórios (bem direcionados) são um bom começo.
Aqui estão algumas dicas de exercícios que poderão ajudar num 1º contato do estudo da voz.
Mesmo estes simples exercícios devem, de preferência, ser feitos com a ajuda de um professor. 

Conscientização dos músculos da respiração:
1. Deitado de barriga para cima encher a barriga (sem subir o peito) de ar, soltar em “SSS” 
até o ar acabar (a barriga vai murchando aos poucos. Concentrar a atenção no umbigo). 
Deixar peito e pescoço relaxados.

2. Em pé. Encher só as costelas de ar (como se fosse empurra-las para fora). Soltar o ar lentamente em “SSS” até que ele acabe. As costelas vão murchando aos poucos (pensar nas costelas flutuantes – as de baixo) para que o ar fique mais na parte baixa das costelas, de modo a deixar peito e pescoço relaxados. Cuidados para não subir os ombros.

3. Em pé. Encher a barriga de ar (não muito) e logo em seguida as costelas (pensar nas flutuantes). Segurar o ar na parte baixa do abdômen e costelas. Deixar o pescoço livre). Segurar o ar por 5 segundos, soltar o ar das costelas em 5 segundos (elas vão murchando), por último, soltar o ar da barriga (ela vai para dentro) também em 5 segundos. Se estiver fácil, aumentar os tempos.
O importante é não controlar e nem segurar o ar com o pescoço.

4. Em pé: Encher a barriga, (só um pouquinho) e em seguida as costelas (pensar nas flutuantes e em expandir as costas). Soltar o ar em “Ts Ts Ts Ts “ sendo que o 1º tempo é forte e os outros 3 são mais fracos. No tempo forte a barriga “entra” um pouco e as costelas vão para fora, nos fracos tudo fica como estava. Repetir várias vezes seguidas sem respirar até que o ar acabe. Cuidado para não segurar
o ar com a garganta.

Se a pessoa dominar bem esses 4 exercícios já terá um bom controle de seus músculos e ficará mais fácil aprender a respiração que o professor achar mais conveniente. Quanto mais consciência corporal for adquirida melhor.

Há alguns exercícios que o aluno pode fazer para começar a perceber sua emissão vocal e suas
tensões.

1º. Cantar músicas (simples e numa região confortável) com “Trrr” língua bem relaxada.
2º. Idem com “Brrr“ (Vibração com os lábios. Língua bem relaxada no "assoalho" da boca).
3º. Vocalizar (cantar) com “ZZZ “ ou “ JJJ” (dó ré dó) ir subindo de ½ em ½ tom. Não ir para o agudo. Ficar só no centro grave.
4º. De boca fechada contar “MMM” e mastigar fazendo um pouco de bico, pensando em fazer o som para frente.
Língua no assoalho da boca relaxada. Fazer em tons variados somente na região confortável.
5º. Ler qualquer coisa em voz alta. Pensar em jogar a voz para os quatro cantos superiores da sala. Cuidado para não falar num tom muito grave. Não apoiar na garganta. O ataque do som deve ser feito como se fosse uma nuvem de fumaça; está no ar, não tem um começo. Esse pensamento ajuda a tirar a voz da garganta.
Atenção também ao volume da voz; ele deve ser alto (sem gritar) e para fora, porém a garganta deve ficar livre. É possível ser autodidata em muitas coisas, mas no canto o aluno só obterá uma boa técnica sob a orientação de um bom professor.

Na música popular é muito comum encontrar cantores que começam sua carreira sem estudo de técnica vocal mas, mais cedo ou mais tarde, eles acabam estudando para se aperfeiçoar e também para preservar a voz . 
Já na música erudita todos os cantores estudam muita técnica vocal.

Se você deseja se tornar um cantor profissional é importante que além da técnica vocal, estude música (teoria, solfejo cantado, harmonia, etc.) e piano.

Dicas úteis:
- Beber muita água (hidrata e limpa o corpo)
- Falar pouco, principalmente em ambientes barulhentos.
- Evitar roupas apertadas na barriga e cintura.
- Não fumar.
- Não beber antes ou durante o canto. 
- Não fazer o uso de drogas.
- Evitar comida e temperos fortes que dificultem a digestão
- Quando estiver em ambiente secos ou com ar condicionando lembre-se de beber mais água.
- Os cantores são “atletas“ da voz e devem por isso preservar a saúde e manter hábitos saudáveis.